O Agrupamento tem a partir de ontem nova Diretora

21-07-2016 08:26

O Agrupamento de Escolas José Régio tem a partir de ontem nova Diretora, e consequentemente uma nova direção. Deste modo, a professora Ana Rute Sanguinho assumiu em cerimónia pública ao final da tarde de ontem um novo desafio para o quadriénio 2016/2020.

Deixamos aqui na integra o seu discurso :

 

"Quero começar por agradecer a presença de todos e parabenizar a ultima direção pelo seu trabalho e dedicação a este Agrupamento, nomeadamente à diretora Cristina, pelos seus 9 anos de direção, valorizando também todos os elementos que fizeram parte das suas equipas.

De salientar que o meu projeto de intervenção não foi contra outros projetos, mas sim delineado em função de um projeto primordial – por e pelo Agrupamento!
Pretenderei, acima de tudo, dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela anterior Direção, dando cumprimento ao Plano Plurianual de Melhoria, elaborado no âmbito do Projeto TEIP III. Deste modo, tentarei estar atenta a todas as vozes, consolidando as boas práticas e aperfeiçoando alguns procedimentos, na busca de soluções inovadoras que permitam responder às exigências da nossa Sociedade.
Porque é que me candidatei?
Julgo que este é o momento oportuno para dar o meu contributo. Sinto-me à altura do desafio, pela experiência que tenho vindo a desenvolver ao longo da minha carreira em diferentes áreas e em diferentes grupos/Associações.
Sinto que é uma oportunidade que não devo perder, para que a escola não seja apenas para ensinar, mas para educar! É essa escola que quero para as minhas filhas e para todos os alunos. Sempre me preocupei por essas questões (como docente e como mãe). A minha MISSÃO será educar/formar pessoas e cidadãos responsáveis e conscientes das suas atitudes, através de políticas inclusivas, dotando-os de melhores qualidades.
Os nossos alunos, que são o nosso futuro, que contribuam para se construir uma sociedade mais: harmoniosa; justa e democrática.
Será valorizado não só o saber, mas também e principalmente o saber fazer e o saber ser.
Docentes e não docentes serão alguns dos facilitadores para o desenvolvimento desta organização – pretendo apoiá-los na concretização das suas atividades e no esforço de uma atualização permanente.

Tenho como o meu lema:
MAIS QUE ENSINAR, EDUCAR. MAIS QUE UMA COMUNIDADE, UMA FAMÍLIA.
Nos dias de hoje e na Escola que queremos para os nossos alunos, ser docente é mais que ser um profissional de educação, com a função específica de ensinar, que se apoia no saber próprio da profissão, na investigação e na reflexão partilhada da prática educativa… O docente é antes de mais um agente educador, terá que educar e formar para a cidadania, fomentar o desenvolvimento da autonomia dos alunos e a sua plena inclusão na sociedade.
Cabe-nos evidenciar o papel que a Escola deve ter, não só na transmissão de conhecimentos mas também de valores, tendo as Famílias como principais parceiras/aliadas. Os pais e encarregados de educação têm, infelizmente, cada vez menos espaço para desempenharem o seu tradicional papel junto dos seus educandos… Passará também pelo docente titular de turma/diretor de turma ajudar a fazer a ponte entre os encarregados de educação e as escolas, pois, a grande instituição Família é parte essencial para o desenvolvimento do sistema educativo a um nível, não só local, mas também nacional...
‘Mais que uma comunidade, uma família’, também nos remete para a valorização do próprio Agrupamento, todas as pessoas que frequentam e trabalham no mesmo, deverão ter sentido de pertença, sentirem-se bem nesse espaço, perspetivando ações futuras com objetivos e metas comuns, as quais a própria comunidade conhece, compreende, se envolve e também partilha.
O trabalho em parceria e articulação da Direção do Agrupamento, com todas as escolas que o constituem, nomeadamente as freguesias, a autarquia e as instituições locais deverão continuar a ser uma premissa para este Agrupamento, com vista à criação conjunta de condições para uma educação de qualidade, para todos os alunos que o frequentam.
A Escola é de todos, todos temos um papel fundamental na educação dos alunos e acima de tudo, queremos que eles sejam felizes!

Um AGRADECIMENTO muito especial aos meus familiares mais próximos e aos meus ex-colegas da AP1, pelo reforço positivo e incentivo constante ao longo do todo este processo, desde o grande dilema “candidatar-me ou não me candidatar” até agora!
Entretanto, durante todo este processo de candidatura falei com um amigo de designe ao qual explanei a ideia do projeto, a minha missão, as intenções e que ele conseguiu transformar em jeito de logo. Assim que tiver oportunidade gostaria de publicá-lo no site e na nossa página de facebook.
O fundo do mesmo é um livro que representa a informação e as experiências que alimentam a árvore. A copa da árvore é também a representação abstrata de um cérebro. Estas duas componentes representam o papel que a escola deve ter, não como uma simples via de propagação de informação, mas como uma estrutura que converte a informação em conhecimento, com base em experiências.

O porquê de uma árvore?
Estamos a falar de vida... As crianças e jovens são o futuro da nossa sociedade. Tal como o crescimento de uma árvore, o desenvolvimento das crianças e jovens na escola deve ser devidamente sustentado.
Uma árvore, apesar de aparentar ser um elemento simples é, na verdade, um ser vivo muito complexo. Tudo o que a constitui tem de funcionar perfeitamente. Também a escola pode parecer uma estrutura simples. Contudo, esta deve desempenhar um papel cada vez mais preponderante na vida das crianças. Para que isto aconteça, e tal como numa árvore, todos os envolvidos na atividade da escola devem funcionar como um só... É por isso que a estrutura da escola deve ser mais que uma comunidade, deve ser uma família.

E como julgo que a grande parte dos presentes está curioso, por saber quem fará parte da minha EQUIPA…
Como sabem, a minha formação inicial é de Ensino Básico – 1º Ciclo, mas há 7 anos que exerço funções na Equipa Local de Intervenção de Portalegre (Intervenção Precoce), trabalhando portanto, com crianças entre os 0 e os 6/7 anos, algumas delas em idade pré-escolar, com atraso global de desenvolvimento ou em áreas específicas e outras ainda com deficiência de caráter permanente, que se encontra no regime educativo especial.
Pelos grupos a que pertenço ou pertencia – Associação de Pais e Sociedade Musical Euterpe, também posso dizer tenho algum à vontade para articular e estabelecer parcerias com a comunidade local…
A equipa tem muito valor e será com a mesma que será possível chegar a todos os alunos. Não será fácil, mas acredito no projeto desenhado, e juntos iremos conseguir atingir os objetivos propostos.
Deste modo, teremos como sub-diretora a Celeste Marques e como adjuntos a Isabel Plasencia e o Luís Moisés, que chamo para junto de mim.
Gostaria de terminar com uma frase de Lincoln - 16° Presidente dos Estados Unidos: “Uma casa dividida contra si mesma não pode subsistir".
Estamos aqui.
Estamos juntos.
E daremos o nosso melhor!
Muito obrigada!"

Ana Rute Sanguinho

Diretora do Agrupamento de Escolas José Régio